Expositor Responsável: Antonio Carlos Tarquínio*

Horário: Quintas-Feiras – 11:00h as 12:30h

Início: 05/08/2021  Duração: 1 semestre (agosto a novembro)

MATERIAL DIDÁTICO | CORPO DOCENTE | INSCRIÇÕES (ABERTAS)

INTRODUÇÃO

A Teologia apresentada no “livro dos Espíritos”, aprofundada no livro “o céu e o inferno”, e presente também, na “Gênese espírita”

Defende a origem divina do homem – quando fazem referência à ignorância como característica fundamental do espírito no início de sua evolução nada mais fazem do que reproduzir o pensamento do filósofo ateniense que estabeleceu já nos primeiros tempos da philosophía que o homem quando erra, erra sem querer, por não saber que o bem não está lá onde ele pensava estar.

Ora, essa não é a visão do homem que o Cristianismo parece defender nos primeiros séculos de sua existência na interpretação daqueles que lhe deram seguimento na história até aqui.

Talvez seja esse o traço dominante na relação entre a philosophía e o Espiritismo.

Enquanto Paulo, Agostinho, Lutero, Pascal e tantos outros negam terminantemente ao ser humano o papel de partícipe no processo da própria salvação – a philosophía e o Espiritismo insistem em afirmar que somos os artesãos de nosso destino.

Os negacionistas teriam razão?

Philosophía Antiga e reforma íntima

 (Pensando o caminho da autotransformação na perspectiva dos negacionistas)

Aprender a viver:  Prólogo. O que é a filosofia? A finitude humana e a questão da salvação, filosofia e religião: dois mundos opostos de abordar a questão da salvação, as três dimensões da filosofia: a inteligência do que é (teoria), a sede de justiça (ética) e a busca da salvação (sabedoria).

Um exemplo de filosofia antiga: O amor à sabedoria segundo os estoicos,  theoria: a contemplação da ordem cósmica, ética: uma justiça que toma a ordem cósmica como modelo, do amor à sabedoria à prática da sabedoria: a morte não é para ser temida, ela é apenas uma passagem, pois somos um fragmento eterno do cosmos, alguns exercícios de sabedoria para se por em prática a busca da salvação, os dois grandes males: o peso do passado e as miragens do futuro, “esperar um pouco menos, amar um pouco mais”, em defesa do ‘não apego’, “quando a catástrofe acontecer, eu me terei preparado”: um pensamento de salvação que se deve inscrever no futuro do pretérito.

La morale d’Epictète et le christianisme: l’homme et son salut
A gênese: A natureza da revelação espírita.
Teoria do conhecimento: Fé e saber.
A perfectibilidade do homem: Pelágio e seus críticos.
La philosophie comme éducation de adultes: Histoire du souci.
O ser e a serenidade: Aproximação da serenidade.

Utilizaremos textos dos livros listados abaixo:

Aprender a viver, Luc Ferry
A hermenêutica do sujeito, Michel Foucault
O ser e a serenidade, J. Herculano Pires
O Manual de Epicteto
Livro dos Espíritos
La philosophie comme éducation des adultes: Histoire du souci
A gênese
Livro dos Espíritos
A perfectibilidade do homem


* Dr. Antonio Carlos de Oliveira Rodrigues. Pseudônimo: Tarquínio. Graduação, Mestrado e Doutorado em Filosofia. Autor dos Livros: 1. Prohaíresis e Prónoia no Estoicismo de Epicteto. 2. A áskesis de desapropriação epictetiana à luz da kátharsis do Fedão de Platão. 3. Epistemologias da religião e relações de religiosidade. (texto: a eucharistía em Epicteto). Articulista da agência Towanda, comentarista do jornal “Nova Era” da rádio Boa Nova. Com vários artigos publicados em revistas especializadas de Filosofia, e tradução do texto grego de Epicteto. Atua também como professor de Filosofia nos cursos livres do IEEF, Instituto Espírita de estudos filosóficos.